Tags

, , , , ,

A partir de hoje, vou publicar novamente alguns textos aqui do Alameda1976 convidando os meus leitores a fazerem uma nova leitura. E quando for o caso, renovar alguma reflexão.

 

O que é futebol? (publicado  em 24/07/2010)

Segundo os dicionários é um “jogo desportivo disputado por dois times, de 11 jogadores cada um, com uma bola de couro, num campo com um gol em cada uma das extremidades, e cujo objetivo é fazer entrar a bola no gol defendido pelo adversário”.

Jogo esportivo! Então o que é esporte? Novamente, segundo os dicionários, é “o conjunto dos exercícios físicos praticados com método, individualmente ou em equipe […] Entretenimento.”

Ora, então futebol não é guerra, muito menos exercícios metódicos bélicos. Mas na verdade serve como entretenimento!

Então, por que na Copa da África a seleção brasileira de futebol era composta de guerreiros? Não diziam assim os publicitários, comissão técnica, e até mesmo parte da imprensa e da torcida?

O futebol como entretenimento requer a presença de artistas e de exímios praticantes do esporte. Bem é verdade, diga-se de passagem, que em determinadas posições a seleção brasileira estava representada por experts em seu ofício.

Até jogador que foi levado para “destruir” jogadas adversárias acabou “destruindo” o sonho do hexa. Culpa dele? Não, talvez. Culpa de quem o escalou/convocou? Sim, talvez. Culpa de quem contratou o técnico? Provavelmente. Culpa do “mercado da bola”? Com certeza!

Afinal, se eu não exerço minha profissão fora do meu país, eu não tenho experiência e não preciso ser artista. Tenho que ser guerreiro. Deve, assim, pensar o jogador brasileiro. E, deste modo, o futebol deixa de ser entretenimento.

E alguns artistas, talvez em razão disso, confundem arte com malandragem. Vide o “jeitinho brasileiro” que o atacante da seleção fez, para marcar o segundo gol da seleção contra a Costa do Marfim. Reclamamos? Não. Aplaudimos!

O futebol para muitos serve como meio de ascensão social. Mas e a qualidade cultural e educacional de nosso povo (e jogadores) como está? E, assim, artistas tornam-se guerreiros, alguns bandidos e alguns se misturam com bandidos. Mas quem é o mocinho e o bandido na sociedade atual?

E poucos na verdade é que continuam a ter lucros com o esporte futebol, enquanto torcedores, muitas vezes, entram em confronto. Muitas vezes reflexo das batalhas campais!

Anúncios