Tags

, , , , , ,

E aí eleitor, está satisfeito com o seu dever cívico cumprido? Seu candidato venceu, ou vai vencer, e você ficará muito feliz!? Ou seu candidato perdeu, ou irá perder, e você falará que houve manipulação das urnas?! Ou, ainda, você anulou o seu voto ou votou em branco porque pensa que nenhum político presta!? Porém, deste modo, ajudaste a eleger o mais votado, sabias?

Mas para ti hoje se encerrou o dever cívico bianual, certo? E por haver eleições a cada dois anos é que o Brasil é um país democrático, não é?

A resposta para as questões acima é: 10% Sim e 90% Não. Votamos e escolhemos os representantes políticos, porém isto é uma parte ínfima do exercício cidadão e democrático.

Depois das eleições é que começam, ou deveriam começar, um exercício democrático atuante e contínuo. Afinal, quantos de nós acompanhamos de perto as votações dos Vereadores? As medidas adotadas pelo(a) futuro(a) prefeito(a)? Como não votamos em projetos, mas em promessas, quem cobra dos eleitos as promessas realizadas em campanha?

Mas, não é apenas desse modo que se permanece a fazer Democracia. Você tem conhecimento de que todo município tem, ou deveria ter, Conselhos Municipais: de Assistência, dos Direitos da Criança e do Adolescente, de Saúde, de Educação, do Idoso; e outros mais.

Nestes conselhos se discute, ou pelo menos se deveria discutir, as políticas públicas para a sua cidade. E o prefeito eleito tem que fazer as políticas de acordo com as decisões destes Conselhos, que são compostos por representantes da sociedade civil e do poder público. Mas qualquer cidadão pode participar das reuniões e com direito a se manifestar. Ocorre que na maioria das cidades os prefeitos mandam nestes conselhos. Ao invés de ouvir e colocar em prática as políticas públicas decididas com a comunidade, o prefeito faz os conselhos aprovarem as suas medidas. Isto é democracia?

Nossa Constituição está repleta de garantias democráticas, porém os partidos políticos e a imprensa querem nos fazer crer que a democracia serve apenas para votar!

Além do mais, as eleições são tão caras para o país, que não entendo a razão para não se aproveitar e fazer plebiscitos e referendos. Instrumentos constitucionalmente previstos de democracia! Mas como vão realizar plebiscitos e referendos são eles não se interessam pelas decisões do povo, a não ser aquela confirmada nas urnas.

E há quem se diga que se faz democracia neste país! Se vivemos numa democracia, e se compararmos ela no Brasil com o desenvolvimento do ser humano, nem começamos a engatinhar ainda!

Anúncios